Balangandãs

by Ná Ozzetti

/
1.
2.
3.
4.
5.
6.
7.
8.
9.
03:03
10.
11.
12.
13.
14.
15.

about

Depois da uma bem sucedida temporada que estreou no segundo semestre de 2008, a cantora Ná Ozzetti lança o CD Balangandãs. Gravado em estúdio em janeiro de 2009, Balangandãs traz novos arranjos e interpretações para clássicos da canção popular brasileira.

O trabalho foi desenvolvido coletivamente por Ná e os músicos Dante Ozzetti (violão), Mário Manga (guitarra, violoncelo e violão tenor), Sérgio Reze (bateria) e Zé Alexandre Carvalho (contrabaixo acústico), e exprime de forma original e contemporânea o cenário musical das décadas de 30 a 50.

Balangandãs traz canções de Assis Valente (Camisa Listada, Recenseamento), Synval Silva (Adeus Batucada, Ao voltar do samba), Ary Barroso (Na batucada da vida), Dorival Caymmi (A preta do acarajé) e Braguinha (Touradas em Madri), entre outros.

O interesse de Ná pela obra destes compositores é herança do início de sua carreira quando integrou o grupo Rumo. Neste período, início dos anos 1980, o grupo pesquisou as obras menos conhecidas de compositores importantes como Noel Rosa, Lamartine Babo e Sinhô, dedicando a este tema uma série de shows e a gravação de um disco, o Rumo aos Antigos (1981).

credits

released June 3, 2009

Ná Ozzetti - voz
Dante Ozzetti – violão
Mário Manga – guitarra, violoncelo, violão tenor
Sérgio Reze – bateria e gongos melódicos
Zé Alexandre Carvalho – contrabaixo

* part. Especial – Danilo Moraes – violão tenor em “O samba e o tango”

Todos os arranjos foram desenvolvidos coletivamente pelos músicos presentes neste trabalho.

Alguns arranjos foram pré-concebidos por:

Dante Ozzetti: “Imperador do Samba”, “Recenseamento”, “Camisa Listada”, “Na batucada da vida”, “E o mundo não se acabou”, “Tic-tac do meu coração”, “Ao voltar do samba”, “O samba e o tango”, “Adeus Batucada”.

Mário Manga: “Touradas em Madri”, “Chattanooga Choo Choo”, “Diz que tem”, “A Preta do Acarajé”.

Produzido por Ná Ozzetti, Dante Ozzetti, Mário Manga, Sérgio Reze, Zé Alexandre Carvalho e Alberto Ranellucci.

Gravado por Alberto Ranellucci no NaCena Studios – SP, em janeiro/2009.
Assistentes: Jeremias Straijer, Rodrigo Costa e André Hamoui

Mixado e masterizado por Alberto Ranellucci no Back Estúdio

Concepção da capa: André Salerno

Pintura da capa: Leonora Weissmann

Produtor Fonográfico: Ná Records

Lançamento MCD
Direção geral de Eduardo Muszkat

www.naozzetti.com.br
www.myspace.com/naozzetti

Agradecimentos: Luana Ozzetti, André Salerno, Leonora Weissmann, MCD, equipe do NaCena Studios.

tags

license

all rights reserved

about

Ná Ozzetti São Paulo, Brazil

contact / help

Contact Ná Ozzetti

Streaming and
Download help

Track Name: Imperador do Samba
Imperador do Samba
(Waldemar Silva)

Silêncio! Façam alas!
Ordem, respeito e nem um grito de bamba
Quero os tamborins de grande gala
Que vai passar o Imperador do Samba

A Imperatriz marcha também
Na frente de um garboso batalhão
E vem a Princesa Rumba
Pra ver Sua Majestade também vem a Macumba
(Por isso eu peço muito silêncio)

Com o Tango e a Valsa vem também
Entoando um hino de louvor
Vêm a Embolada e a Toada
E vem o "Blue" americano pra saudar o Imperador

(Por isso eu peço muito silêncio)
Track Name: Camisa Listada
Camisa Listada
(Assis Valente)

Vestiu uma camisa listada,
E saiu por aí,
Em vez de tomar chá com torrada,
Ele bebeu Parati,
Levava um canivete no cinto,
E um pandeiro na mão,
E sorria quando o povo dizia,
Sossega, Leão, sossega Leão.

Tirou o seu anel de doutor,
Para não dar o que falar,
E saiu, dizendo, eu quero mamá,
Mamãe eu que mamá.

Levava um canivete no cinto,
E um pandeiro na mão,
E sorria quando o povo dizia,
Sossega Leão, sossega Leão.

Levou meu saco de água quente,
Pra fazer chupeta,
E rompeu a minha cortina de veludo,
Pra fazer uma saia,
Abriu meu guarda-roupa,
Arrancou a combinação,
Até do cabo de vassoura,
Ele fez um estandarte, para o seu Cordão.

E agora que a batucada,
Já vai começando,
Eu não quero e não consinto,
Meu querido debochar de mim,
Porque, se ele pegar as minhas coisas,
Vai dar o que falar,
Se fantasia de Antonieta,
E vai dançar no Bola Preta,
Até o sol raiar...
Track Name: Tic Tac do Meu Coração
Tic-tac do meu coração
(Alcyr Pires Vermelho / Walfrido Silva)

O tic tic tic tac do meu coração
Marca o compasso do meu grande amor
Na alegria bate muito forte
E na tristeza bate fraco por que sente dor

O tic tic tac do meu coração
Marca o compasso de um atroz viver
É o relógio de uma existência
Que pouco a pouco vai morrendo de tanto sofrer

Meu coração já bate diferente
Dando sinal do fim da mocidade
O seu pulsar é um soluçar constante
De quem muito amou na vida com sinceridade

Às vezes eu penso que o tic-tac
É um aviso do meu coração
Que já cansado de tanto sofrer
Não quer que eu tenha nessa vida mais desilusão
Track Name: Disseram que Eu Voltei Americanizada
Disseram que eu voltei americanizada
(Vicente Paiva / Luiz Peixoto)

Disseram que eu voltei americanizada
Com o burro do dinheiro
Que estou muito rica
Que não suporto mais o breque do pandeiro
E fico arrepiada ouvindo uma cuíca
E disseram que com as mãos
Estou preocupada
E corre por aí
Que eu sei certo zum zum
Que já não tenho molho, ritmo, nem nada
E dos balangandãs já não existe mais nenhum
Mas pra cima de mim, pra que tanto veneno
Eu posso lá ficar americanizada
Eu que nasci com o samba e vivo no sereno
Topando a noite inteira a velha batucada
Nas rodas de malandro minhas preferidas
Eu digo mesmo eu te amo, e nunca I love you
Enquanto houver Brasil
Na hora da comida
Eu sou do camarão ensopadinho com chuchu
Track Name: Touradas em Madri
Touradas em Madri
(João de Barro / Alberto Ribeiro)

Pararatibum bum bum...

Eu fui às touradas em Madri
E quase não volto mais aqui
Pra ver Peri, beijar Ceci

Eu conheci uma espanhola
Natural da Catalunha
Queria que eu tocasse castonhola
Que pegasse touro a unha

Caramba, caracolis
Sou do samba
Não me amoles
Pro Brasil eu vou fugir
Que isso conversa mole
Para boi dormir
Track Name: E o Mundo Não Se Acabou
...E o mundo não se acabou
(Assis Valente)

Anunciaram e garantiram que o mundo ia se acabar
Por causa disso a minha gente lá de casa começou a rezar
E até disseram que o sol ia nascer antes da madrugada
Por causa disso nessa noite lá no morro não se fez batucada

Acreditei nessa conversa mole
Pensei que o mundo ia se acabar
E fui tratando de me despedir
E sem demora fui tratando de aproveitar
Beijei na boca de quem não devia
Peguei na mão de quem não conhecia
Dancei um samba em traje de maiô
E o tal do mundo não se acabou

Anunciaram e garantiram que o mundo ia se acabar
Por causa disso a minha gente lá de casa começou a rezar
E até disseram que o sol ia nascer antes da madrugada
Por causa disso nessa noite lá no morro não se fez batucada

Chamei um gajo com quem não me dava
E perdoei a sua ingratidão
E festejando o acontecimento
Gastei com ele mais de quinhentão
Agora eu soube que o gajo anda
Dizendo coisa que não se passou
Ih, vai ter barulho e vai ter confusão
Porque o mundo não se acabou
Track Name: Ao Voltar do Samba
Ao voltar do samba
(Synval Silva)

Oh! Deus, eu me acho tão cansada
Ao voltar da batucada
Que tomei parte lá na praça onze
Ganhei no samba um arlequim de bronze
Minha sandália quebrou o salto
E eu perdi o meu mulato lá no asfalto

Eu não me interessei saber
Alguém veio me dizer
Que encontrou você se lastimando
Com lágrimas nos olhos, chorando
Chora, mulato, meu prazer é de te ver sofrer
Para saber quanto eu te amei e
Quanto eu sofri para te esquecer

Eu tive amizade a você
...eu mesmo não sei por quê...
Eu conheci você na roda sambando
Com o tamborim na mão marcando...
Agora, mulato, por você não faço desacato
Eu vou à forra e comigo tem (ora se tem)
Ou este ano ou pro ano que vem...
Track Name: Na Batucada da Vida
Na Batucada da Vida
(Ari Barroso / Luiz Peixoto)

No dia em que eu apareci no mundo
Juntou uma porção de vagabundo
Da orgia
De noite, teve choro e batucada
Que acabou de madrugada
Em grossa pancadaria

Depois do meu batismo de fumaça
Mamei um litro e meio de cachaça
Bem puxado
E fui adormecer como um despacho
Deitadinha no capacho na porta dos enjeitados

Cresci olhando a vida sem malícia
Quando um cabo de polícia
Despertou meu coração
E como eu fui pra ele muito boa
Me soltou na rua à toa
Desprezada como um cão

E agora que eu sou mesmo da virada
E que eu não tenho nada, nada
E por Deus fui esquecida
Irei cada vez mais me esmulambando

Seguirei sempre cantando
Na batucada da vida...
Track Name: Diz Que Tem
Diz que tem
(Vicente Paiva / Aníbal Cruz)

Ela tem, diz que tem, diz que tem...

Tem cheiro de mato, tem gosto de côco
Tem samba nas veias, tem balangandãs

Ela tem, diz que tem, diz que tem...

Tem pele morena e o corpo febril
e dentro do peito o amor do Brasil

Cantei em São Paulo, cantei no Pará
Tomei chimarrão e comi vatapá
Eu sou brasileira, meu "it" revela
que a minha bandeira é verde-amarela

Eu digo que tenho, que tenho moamba
Que tenho no corpo um cheiro de samba
Só falta pra mim um moreno fagueiro
que seja do samba e bom brasileiro.
Track Name: A Preta Do Acarajé
A preta do acarajé
(Dorival Caymmi)

Dez horas da noite, na rua deserta a preta mercando parece um lamento
Iê abará
Na sua gamela tem molho cheiroso pimenta da Costa, tem acarajé
Ô acarajé ecó olalai ô ô
Vem benzê ê ê
Todo mundo gosta de acarajé (bis)
Mas o trabalho que dá p'rá fazê é que é (bis)
Todo mundo gosta de acarajé (bis)
Todo mundo gosta de abará (bis)
Mas ninguém qué sabê o trabalho que dá
Ninguém qué sabê o trabalho que dá
Todo mundo gosta de abará (bis)
Todo mundo gosta de acarajé
Iê abará
Iê abará
Dez horas da noite, na rua deserta quanto mais distante, mais triste o lamento
O acarajé ecó olalai ô ô
Vem benzê ê ê, tá quentinho
Todo mundo gosta de acarajé!
Track Name: Recenseamento
Recenseamento
(Assis Valente)

Em 1940
lá no morro começaram o recenseamento
E o agente recenseador
esmiuçou a minha vida
que foi um horror
E quando viu a minha mão sem aliança
encarou para a criança
que no chão dormia
E perguntou se meu moreno era decente
se era do batente ou se era da folia

Obediente como a tudo que é da lei
fiquei logo sossegada e falei então:
O meu moreno é brasileiro, é fuzileiro,
é o que sai com a bandeira do seu batalhão!
A nossa casa não tem nada de graveza
nós vivemos na pobreza sem dever tostão
Tem um pandeiro, tem cuíca, um tamborim
um reco-reco, um cavaquinho e um violão

Fiquei pensando e comecei a descrever
tudo, tudo de valor
que meu Brasil me deu
Um céu azul, um Pão de Açúcar sem farelo
um pano verde e amarelo
Tudo isso é meu!
Tem feriado que pra mim vale fortuna
a Retirada da Laguna vale um cabedal!
Tem Pernambuco, tem São Paulo, tem Bahia
um conjunto de harmonia que não tem rival
Track Name: O Samba e o Tango
O samba e o tango
(Amado Regis)

Chegou a hora, chegou chegou
Meu corpo treme e ginga qual pandeiro
A hora é boa e o samba começou
E fez convite ao tango pra parceiro.
Chegou a hora, chegou chegou
Meu corpo treme e ginga qual pandeiro
A hora é boa e o samba começou
E fez convite ao tango pra parceiro.

"hombre yo no sé porque te quiero
Yo te tengo amor sincero diz a muchacha do prata

Péro no Brasil é diferente yo te quiero simplesmente
Teu amor me desacata.
Habla castellano num fandango
Argentino canta tango ora lento, ora ligeiro
Pois eu canto e danço sempre que possa
Um sambinha cheio de bossa
Sou do Rio de Janeiro.
Track Name: Tico-Tico No Fubá
Tico-tico no fubá
(Zequinha de Abreu / Aloysio de Oliveira)

O Tico-Tico tá
Tá outra vez aqui
O Tico-Tico tá comendo meu fubá
O Tico-Tico tem, tem que se alimentar
E vá comer umas minhocas no pomar

Mas por favor, tire esse bicho do seleiro
Porque ele acaba comendo o fubá inteiro
tira esse ,tico de cá, de cima do meu fubá
Tem tanta coisa que ele pode pinicar
Eu já fiz tudo para ver se conseguia
Botei alpiste para ver se ele comia
Botei um gato, um espantalho e alçapão
Mas ele acha que fubá é que é boa alimentação
Track Name: Chattanooga Choo-Choo
Chattanooga Choo-choo
(Mack Gordon / Harry Warren – versão Aloysio de Oliveira)

Vou explicar que é o Chattanooga Choo Choo
Choo Choo é um trem que vai que vai me levar perto de alguém
Pois numa estação que passa o Chattanooga Choo Choo
Eu vou saltar, se vou, se vou
mesmo se o trem não parar
E você pega o trem na Pennsylvania Station
às três horas e tal
pouco a pouco vai saindo da capital
Toma um cafezinho e tira uma pestana
e come remeleques lá em Carolina
Bom americano entra dentro do bar
It’s a boogie oogie boogie choo choo into the bar
Mas para o brasileira está querendo sambar
Boom tchquibum baragadá baragadum
Boom tchquibum baragadá baragadá
Pois o maquinista pode ser sambista
Oh Chatanooga there you are
Vou vou vou encontrar com certo alguém
que lá me espera na estação

Ahá! Um certo alguém are used to company pays
Pois tem cara de Spencer Tracy
Quero chegar pois sei que lá vai ser prá lá de bom
So Chattanooga Choo Choo want to teach you
Want to teach you home
Oh Chattanooga Chatanooga
Track Name: Adeus Batucada
Adeus batucada
(Synval Silva)

Adeus, adeus
Meu pandeiro do samba
Tamborim de bamba
Já é de madrugada

Vou-me embora chorando
Com meu coração sorrindo
E vou deixar todo mundo
Valorizando a batucada

Em criança com samba eu vivia sonhando
Acordava e estava tristonha chorando

Jóia que se perde no mar
Só se encontra no fundo
Samba mocidade
Sambando se goza
Nesse mundo

E do meu grande amor
Sempre eu me despedi sambando
Mas da batucada agora me despeço chorando
E guardo no lenço esta lágrima sentida
Adeus batucada
Adeus batucada querida